Knowledgebase: Ad Server
Como comercializar um site online?
on 09 June 2015 02:46 PM

Diferentemente do marketing tradicional, onde existem barreiras de entrada significativas para introduzir um novo meio de comunicacaao no circuito (existem, por exemplo, restrições e legislação para ter um sinal de televisão ou custos altos para imprimir um novo jornal local), no mundo online, qualquer pessoa com boas ideias pode se converter facilmente em redator, jornalista, produtor, desenvolvedor e criar seu próprio site.

Esse site pode começar rapidamente a ter visitas e despertar o interesse dos internautas. Desta maneira, começará a ter tráfico e se constituir em um novo "meio de comunicação" online. Este site ou meio de comunicação online também é denominado "Publisher". Todo Publisher, independentemente do volume de tráfego, é suscetível a receber anunciantes interessados em divulgar serviços e produtos, e, desta maneira, gerar receitas derivadas da venda de publicidade.

 

Como comercializar um site online?

O primeiro passo para começar a vender publicidade será definir:

 

  • O QUE VENDER >> PRODUTOS

 

  • COMO VENDER >> MODELOS DE VENDA

 

  • POR QUANTO VENDER >> PREÇOS

 

Toda esta informação formará o "Tarifário" ou "Media Kit" do Publisher e será um documento acessível e de consulta permanente para agências, centrais de meios de comunicação e anunciantes. Junto com as tarifas, poderá ser incluído um documento ou apresentação com informação sobre o tráfego do site e especificações técnicas dos formatos.

 

O QUE VENDER >> PRODUTOS


Dentro de la gama de productos podemos distinguir

 

Dentro da gama de produtos, podemos distinguir

 

Anúncios de Texto ou Texto + Imagem

Estes anúncios são caracterizados por terem um formato de tipo texto (geralmente um título, descrição e url), podendo ser acompanhados por uma imagem. Geralmente, anúncios deste tipo são associados a "termos de pesquisa", como no caso do Google, ou conteúdos de sites, ou são designados a espaços denominados "lojas", que contêm vitrines de produto.

 

 

Anúncios Display

Anúncios gráficos podem ser estáticos ou animados. Geralmente, são utilizados arquivos em formato flash, jpg ou gif. Ao terem maiores recursos gráficos, permitem uma melhor presença de marca para o Anunciante.

 

 

Anúncios Rich Media

Anúncios enriquecidos, que estimulam a interatividade entre a peça e o usuário. Incorporam efeitos, tais como expansão, deslocamento, aparecimento e desaparecimento, mudanças no layout do site, incorporação de vídeo, catálogos, mapas, formulários, galerias e complementos sociais como Twitter e Facebook. Visite a Galeria AdMagic

 

Anúncios Móveis

Anúncios de imagem e HTML5 desenvolvidos para dispositivos móveis como smartphones e tablets. Maximizam as vantagens do mundo móvel com a navegação touch, a funcionalidade do click to call (ao clicar num anúncio, uma ligação é realizada) ou click to sms (ao clicar num anúncio, um SMS é enviado). Visite ASM (Ad Studio Mobile)

 

Anúncios InStream

Se o Publisher tem conteúdos em vídeo, estes anúncios aparecem como um comercial (antes, durante ou depois do vídeo de conteúdo) ou até mesmo acompanhando a reprodução do vídeo, na forma de um logo ou epígrafe sobreposta na tela.Visite a Galeria AdMagic InStream

 

COMO VENDER >> MODELOS DE VENDA 

Os modelos de venda vigentes são:

 

PATROCINADOR OU PRESENÇA FIXA

Vende-se um espaço a um anunciante por um período de tempo determinado a um preço fixo. Por exemplo: o anunciante A paga R$1.000,00 pelo espaço superior na home do site e aparece publicado durante um mês. Este é o modelo mais utilizado pelos pequenos Publishers (especialmente antes de contratar um adserver). Em geral, os editores começam a gerar receita incorporando anunciantes de forma fixa por mês ou períodos de tempo mais longos. No entanto, esta forma de geração de receita não é a mais rentável. Ao ser um pagamento fixo, não considera as flutuações do tráfego. Isto pode fazer com que um anunciante receba o dobro do tráfego pelo mesmo preço só porque no mês em questão as visitas no site cresceram substancialmente.

Estão opção é recomendada unicamente:

  • Para sites que não têm picos ou crescimento permanente de tráfego.
  • Para incorporar pacotes especiais de Branding como "Presença Fixa na home" por um dia. Para a campanha de lançamento de um produto, por exemplo.
  • Para sites que querem se associar a modelos de venda da televisão, com presenças fixas por horas. Nestes casos, recomenda-se diferenciar claramente os preços em horas onde o tráfego é maior, como "Prime Time".

 

CPM

(Custo por mil impressões)

Vende-se uma quantidade de impressões ("vezes que o anúncio é veiculado numa página"). Um Anunciante B, por exemplo, paga R$10,00 para cada 1.000 impressões do seu anúncio. É importante esclarecer que a impressão de um anúncio implica carregá-lo na página, mas não necessariamente significa que ele seja visto por um usuário.  A quantidade de impressões deve ser associada a impactos, não representa o número de usuários ou reach. Um mesmo usuário pode visitar uma página de forma frequente (10 vezes por dia) e ser impactado muitas vezes por uma mesma publicidade. Neste caso, se tratariam de 10 impressões e 1 usuário.

Estão opção é recomendada unicamente:

  • Para comercializar formatos/campanhas orientadas ao branding e presença de marca.
  • Para comercializar anúncios Rich Media e Instream
  • Para sites com tráfego crescente e flutuante ao longo do dia e/ou com diferenças marcadas entre os dias da semana.

 

CPC

(Custo por clique)

O anunciante deverá pagar por cada clique que for feito sobre o seu anúncio publicitário. Neste caso, não importa o número de impressões do anúncio, mas sim as vezes em que os usuários fazem clique sobre o anúncio. Este modelo oferece um risco maior para o Publisher, já que o anunciante terá divulgação no site mas só pagará se os usuários clicarem. Em um caso extremo, onde a campanha finaliza sem conseguir nenhum clique, o anunciante não pagaria nada ao Publisher.

Estão opção é recomendada:

  • Para comercializar formatos/campanhas orientadas a gerar visitas no site do anunciante
  • Para comercializar anúncios de texto e imagem, nunca formatos rich media
  • Para sites com muito tráfego (geralmente são necessárias centenas de impressões para gerar um clique)
  • Para campanhas com um claro "call to action", ou seja, uma mensagem atrativa que convide o usuário a clicar e/ou em que existe um incentivo (sorteios, benefícios, prêmios etc)

 

CPA

(Custo por Aquisição)

Este modelo se refere a uma aquisição específica ou ação dentro do site de um anunciante. Uma aquisição ou conversão pode ser um registro completo, uma descrição, um download, uma venda. O valor pode ser um preço fixo por cada ação ou, no caso de se tratarem de vendas, uma porcentagem com respeito ao valor de cada venda gerada. Este modelo oferece um risco maior para o Publisher, já que o anunciante terá divulgação no site, cliques nos seus anúncios, mas só pagará se os usuários finalizarem uma determinada ação ou compra.

Estão opção é recomendada:

  • Para anunciantes de performance, como sites de e-commerce que implementam políticas de divulgação agressivas, "descontos, ofertas de último momento, oportunidades".
  • Para comercializar anúncios de texto e imagem, nunca formatos rich media
  • Para sites com muito tráfego não vendido.

 

POR QUANTO VENDER >> PREÇOS 

 

Uma vez definidos os produtos e os modelos de venda, deve-se definir os preços. Os preços variam dependendo dos conteúdos/qualidade do site e do mercado geográfico onde opera. Recomenda-se consultar tarifas de outros meios como referência.

Algumas recomendações a levar em conta:

  • Respeitar o esquema de comissões de agências vigentes no mercado
  • Manter sempre uma margem e uma diferenciação entre produtos premium (Rich Media, Instream), produtos standard (Display, Mobile) e produtos performance (texto)
  • Considerar as opções de segmentação do adserver (contextual, tecnológica) e segmentação por behavioral targeting como opções para incrementar o valor dos produtos e preços.
  • Considerar as opções de frequências de usuários (quantidade máxima de impactos por usuário) para garantir o alcance das campanhas em termos de audiência e evitar a saturação; podendo ser aplicado um sobrepreço.

 

 


IMPORTANTE!

LEMBRAR QUE SEM TRÁFEGO NÃO HÁ VENDAS, NEM RECEITAS. É por isso que se deve cuidar da experiência dos usuários quando visitam o site do Publisher, evitando recorrência de formatos intrusivos, publicidade enganosa e anúncios de baixa qualidade.


(0 votes)
This article was helpful
This article was not helpful